Radio

sábado, 2 de março de 2013


Antônio Baixinho no esporte II


Depois da Copa Antônio Baixinho, não faltou convite para o campeão se apresentar em vários lugares. Num certo domingo, time do Tabajaras foi jogar na vila Guassucê, município de Orós, e logicamente, Antônio Baixinho, presidente de honra da equipe, foi como chefe da delegação.
O ônibus, com capacidade para 36 passageiros, levou quase 80 pessoas. Como todos sabem, time que tem torcida é assim mesmo. O escrete da vila Guassucê, com o seu ataque arrasador formado por Acarape, Acarapinga, Bebê de Mola, Santo Antônio e Veludo, impiedosamente goleou o tabajaras pelo elástico placar de 4 a 0.
Antonio Baixinho, evidentemente, botou toda culpa no juiz, mas nada pôde fazer, pois o presidente do time da vila Guassucê, o senhor eDson Feroz, mais conhecido como ‘Carrasco’, disse que ele não se metesse não que a era quente.
Na volta, o ônibus estava tão lotado que tinha gente saindo pelo ladrão. Por falar em ladrão, um batedor de carteira, dos inúmeros que se encontravam no ônibus, se antecipou e levou a grana de um bêbado. Este puxou uma lambedeira de 12 polegadas e foi um Deus nos acuda. Clodoaldo, o treinado do tabajaras, deficiente físico, quando ouviu as crianças chorando, gritaria das mulheres e todos querendo sair de uma só vez, não contou conversa e abrindo a janela do ônibus pediu a Antonio Baixinho, que vinha sentado ao seu lado:
Antoin Baixim, pelo amor de Deus, me jogue pela janela e depois jogue as minhas muletas. Nessas alturas, o ônibus estava no chão e quase parando. Antonio Baixinho sacode o treinador e as suas muletas. Alguns minutos depois, com o bêbado já dominado, felizmente tudo voltou ao normal.
Antônio baixinho desce acompanhado de seus dois seguranças, Quinzinho e Dezesseis, e vão procurar o treinador. Para surpresa de todos e azar do pobre treinador, ele estava aos gritos, pois o coitado havia caído em cima de um pé de cansanção.