Radio

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013


Caixão das almas


O nordestino é um tipo hospitaleiro, alegre, comunicativo, que não deixa a tristeza penetrar em seu interior facilmente. Apesar de todas as adversidades, que são muitas, ele jamais perde a alegria de viver. Mesmo diante de sua imensa pobreza, arranja sempre uma maneira das coisas se tornarem engraçadas.
A pobreza no interior nordestino é tão grande que existe o caixão das almas. O que vem a ser isto? O caixão das almas é um caixão muito simples. Feito de madeira da mais ordinária possível, onde os pobres são levados para serem enterrados. Em seguida o caixão é trazido de volta para o próximo que vier precisar dele.
Geralmente o caixão das almas fica guardado na sacristia das igrejas ou capelas.
Na vila Neuma, no mês de maio, estavam celebrando as novenas de Nossa Senhora de Fátima.
Certa noite, havia tanta gente na pequena capela que tinha gente até na sacristia, onde se encontrava o caixão das almas.
Um gaiato da vila Neuma, antes de começar a novena, sem que ninguém percebesse, entrou no caixão.
Todos os fiéis cantavam: “Há treze de maio na cova da Iria, no céu aparece a virgem Maria. Avé, avé, avé Maria!
Nesse exato momento, o gaiato que estava dentro do caixão começou a se tremer e a gritar. As pessoas entraram em pânico e foi um Deus nos acuda. O padre, muito gordo e impossibilitado de correr, passo mal.
Coisas da vila Neuma.

Escrito: Por Giovani de Oliveira